No NE, Marina lembra um mês da morte de Eduardo Campos

A candidata do PSB à presidência, Marina Silva, lembrou neste sábado, 13, um mês da morte de seu ex-companheiro de chapa Eduardo Campos, vítima de um acidente aéreo em Santos. "Há um mês, o Brasil perdeu Eduardo Campos, uma liderança jovem, propositiva e vigorosa em defesa do desenvolvimento econômico e social. Sua candidatura à Presidência expressava a esperança de uma desejada renovação no quadro político brasileiro", escreveu Marina em sua página no Facebook.

CARLA ARAÚJO, Estadão Conteúdo

13 de setembro de 2014 | 16h17

Em um momento em que tem reclamado ser vítima de ataques agressivos dos adversários, Marina lembrou a postura política de Campos e disse que mesmo com "o jogo bruto" da política o ex-governador mantinha o respeito com adversários.

"O jogo bruto da política não o impedia de ser gentil até com os adversários, buscando o diálogo e o debate respeitoso de ideias", afirmou, destacando que a força de Campos residia, antes de tudo, no homem amoroso, devotado à mulher e aos filhos.

Marina lembrou ainda sua convivência diária com o então candidato nos 10 meses que os dois compunham a chapa do PSB e disse que aprendeu a "respeitá-lo, a admirá-lo e a confiar em suas atitudes e seus ideais". A candidata disse que tem a responsabilidade de dar continuidade no projeto então encabeçado por Campos e lembrou uma das últimas frases do ex-governador. "Assim como disse Eduardo, não vamos desistir do Brasil."

Agenda

A candidata faz hoje uma série de atividades de campanha no Nordeste. Ela visitou Sobral (CE) e Campina Grande (PB) e segue agora para João Pessoa (PB), onde faz comício às 16h. À noite, ela vai a Teresina onde faz comício às 20h.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesMarina SilvaE#duardo Campos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.