No MS, candidatos encerram campanha com provocações

Na véspera da votação, os candidatos ao governo de Mato Grosso do Sul, Delcídio do Amaral, do PT, e Reinaldo Azambuja, do PSDB, mantiveram os ataques mútuos que marcaram a campanha no segundo turno. "Discutimos propostas, enquanto o adversário baixou o nível e usou ataques rasteiros", disse Delcídio, durante caminhada, no início da tarde deste sábado (25), na região central.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, ENVIADO ESPECIAL, Estadão Conteúdo

25 de outubro de 2014 | 15h21

"Fomos alvos de uma campanha difamatória e criminosa promovida pelo candidato do PT, mas as pesquisas indicam nossa vitória", avaliou o tucano.

Azambuja fez carreata em Maracaju, sua terra natal, e encerrou os atos de rua no centro de Campo Grande, à pequena distância do grupo de militantes do PT, que aguardava a chegada de uma carreata de Delcídio, após percorrer bairros da capital.

Os dois lados trocaram provocações. Um petista arrancou uma bandeira do carro de um simpatizante tucano. Ocupantes de um carro com adesivos do adversário dispararam um rojão contra o grupo de militantes do PT, mas ninguém ficou ferido.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesMato Grosso do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.