Marcos Corrêa/EFE
Marcos Corrêa/EFE

No Japão, Bolsonaro encontrará primeiro-ministro Shinzo Abe e presidente da Ucrânia

Presidente, que ficará 11 dias fora do País, deixou o Alvorada iniciar viagem

Mateus Vargas, O Estado de S.Paulo

19 de outubro de 2019 | 11h56
Atualizado 19 de outubro de 2019 | 22h25

O presidente Jair Bolsonaro fará no Japão reuniões com o primeiro-ministro Shinzo Abe e com o presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, além de encontro com empresários locais e com a comunidade brasileira. A previsão de reuniões foi divulgada neste sábado pelo Palácio do Planalto.

Bolsonaro, que ficará 11 dias fora do País, deixou o Palácio da Alvorada às 21h deste sábado. Na saída, Bolsonaro cumprimentou apoiadores e evitou comentar a crise que se instalou dentro de seu partido, o PSL, ao longo desta semana. Questionado se quando voltar da viagem ao exterior ainda fará parte dos quadros da legenda, o presidente respondeu: “Pô, cara. Pergunta para eles, tá bom?”

O presidente disse que são boas as expectativas de sua viagem, mas não entrou em detalhes da agenda que terá fora do País. Ele fará uma escala em Lisboa, Portugal. A previsão é de desembarque em Tóquio na segunda-feira, 21, para participar, no dia seguinte, da cerimônia de proclamação da entronização do imperador do Japão, Naruhito.

Antes comediante, Zelenski assumiu a presidência da Ucrânia em maio. O político novato virou peça-chave de crise política nos Estados Unidos que motiva movimento pelo impeachment do presidente Donald Trump. Em telefonema, o republicano pediu que o líder ucraniano investigasse o democrata Joe Biden, possível rival de Trump nas eleições de 2020.

A agenda no Japão será a primeira de Bolsonaro na sua mais longa viagem internacional. A ideia do governo é atrair investimentos ao Brasil com o périplo pela Ásia. Bolsonaro deixa o Brasil em meio à implosão do PSL, agora dividido nas alas pró-Bolsonaro e pró-Luciano Bivar, o presidente da legenda.

Além do Japão, o presidente viajará aos seguintes países:

- China: de 24 a 26 de outubro

- Emirados Árabes Unidos: de 26 a 28 de outubro

- Arábia Saudita: de 28 a 30 de outubro

Bolsonaro será acompanhado pelos ministros das Relações Exteriores, Ernesto Araújo; da Casa Civil, Onyx Lorenzoni; da Agricultura, Tereza Cristina; da Cidadania, Osmar Terra; de Minas e Energia, Bento Albuquerque e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno.

Além dos ministros, acompanham o presidente o senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e os deputados federais David Soares (DEM-SP), Fausto Pinato (PP-SP), Hélio Lopes (PSL-RJ) e Marco Feliciano (Pode/SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.