No jantar para Alencar, PL adota discrição pedida por Dirceu

A bancada do PL seguiu à risca a orientação do ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, e não transformou o jantar de ontem com o vice-presidente José Alencar num ato político em defesa da queda da taxa de juros. Para evitar que se criasse um clima de confronto com o governo, o ministro, segundo um deputado do PL, ponderou à direção partidária que o evento, ocorrido no Palácio do Jaburu, fosse o mais discreto possível sem parecer um reunião de desagravo nem de exaltação ao vice-presidente. Além do ministro dos Transportes, Anderson Adauto, estavam presentes ao jantar dezenas de deputados e senadores do PL, acompanhados por suas mulheres. Dirceu, segundo informou um deputado, disse que os primeiros dias da semana foram difíceis para o governo, por conta das críticas duras feitas por José Alencar à política econômica. No jantar, porém, não faltaram brincadeiras. Sobrou para Juraci Souza, mulher do deputado Carlos Souza (PL-AM), mais conhecida como "dona Jura". "Não vamos deixar que ela chegue perto do vice-presidente", brincou o deputado Bispo Rodrigues (PL-RJ), dando risadas. Como a palavra "juro" era para ser evitada melhor seria preservar dona Jura. O jantar, portanto, acabou sendo um evento social e não político. "Uma confraternização", classificou o deputado Mario Assad Júnior (PT-MG). "Resolvemos não atiçar o vice-presidente falando em juros. Por isso não teve discursos nem microfone", completou Bispo Rodrigues.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.