No Fórum, campanha pede ´trabalho decente´ na Copa

"O Carlos Alberto (Parreira) ainda está tentando se encontrar, mas acho que até 2010 ele vai estar bem e nos trazer a taça"´, analisa a sindicalista Crecentia Mofokeng, em conversa com brasileiros, após debate no 7º Fórum Social Mundial. Mas o desempenho da seleção sul-africana com o novo técnico não é a única preocupação para a Copa do Mundo da coordenadora-geral da Confederação Internacional das Trabalhadoras na Construção e Madeireiras (BWI, pela sigla em inglês).Nesta terça-feira, a BWI, junto com outros sete sindicatos sul-africanos, lançou uma campanha pelo trabalho decente durante a Copa do Mundo. Mofokeng apresentou no Fórum Social as denúncias já existentes de flexibilização das leis trabalhistas na contratação de pessoas em obras para a realização da Copa do Mundo em 2010. "Tememos que, com o aumento da oferta de emprego na construção, as empresas possam impor aos trabalhadores condições ainda piores."A campanha vai exigir que as novas pessoas contratadas tenham registro em carteira e atendimento à saúde, inclusive para os casos de infecção pelo HIV. Alguns sindicatos europeus participaram da atividade e decidiram, durante o encontro, lançar uma campanha semelhante para os trabalhadores das obras da Eurocopa 2008, que será realizada na Suíça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.