No ES, presos denunciam privilégios de cunhado do governador

Os presos que cumprem pena no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar, em Vitória, reclamaram dos supostos privilégios obtidos pelo ex-secretário de Governo e cunhado do governador José Ignácio (sem partido), Gentil Ruy. Ele chegou à prisão na tarde de ontem e, como tem direito a uma cela especial por ter curso superior (Ruy é engenheiro), ocupa um quarto com banheiro e ventilador dentro do ginásio de esportes do quartel. Os presos entregaram uma carta à imprensa reclamando do suposto tratamento diferenciado dado a Ruy pelo comando da PM. Eles dizem que, ao contrário do que está ocorrendo com o ex-secretário, as visitas deles só ocorrem em dias e horários marcados. Ruy foi preso em seu sítio no interior do Estado, após denúncia anônima. Ex-secretário de Governo, ele e mais oito pessoas são acusadas do desvio de R$ 4,3 milhões. O cunhado do governador teria organizado o esquema. Em dois dias de prisão, Ruy recebeu várias visitas. Na terça à noite, quando chegou, sua mulher levou cobertores e pizza. Ele ainda recebeu o deputado José Tasso de Andrade, ex-secretário da Casa Civil, fora do horário de visitas. Nesta manhã sua mulher voltou ao quartel, desta vez com a filha do casal. Elas passaram a manhã na cela de Ruy. Segundo o comandante da PM, João Carlos Batista, como o quartel não fornece alimentação para os presos especiais, não houve nenhuma irregularidade no fato de a mulher de Ruy levar pizza ao quartel. Ele admitiu, no entanto, que a visita do deputado foi feita após o horário apropriado (10h às 17h) e que contou com sua autorização. "Como ele tinha acabado de chegar, eu permiti, mas isso não vai ocorrer mais", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.