No Dia de São Judas, um agradecimento pela vitória de Lula

Com bonés vermelhos e estrelas doPT, os membros da família Lopes, de Diadema, aproveitaram o Diade São Judas para ir ao santuário no Jabaquara, zona sul de SãoPaulo, agradecer ao santo a vitória de Luiz Inácio Lula da Silvaà presidência da República. "Finalmente, ele (Lula) irá paraBrasília lutar pelos mais pobres", afirmou a cozinheira MariaBranco Lopes, de 54 anos, que levou os filhos Edson e Marta pararezar em prol de um bom governo para o petista. Ao lado do sobrinho Jeferson Bastos, de 5 anos, FátimaSoares Roberto tinha motivos mais prosaicos para visitar aigreja do santo das causas impossíveis. Vestidos com o mantoverde e vermelho de São Judas, eles agradeciam, respectivamente,ao fim de uma briga familiar e à conquista de um emprego. "Fiza promessa e garanti ao santo, de quem sou devota há muitos anos que eles viriam com o manto para agradecer às graças", contoua mãe de Fátima, Maria Bernadete Roberto, de 55 anos. Uma dona de casa de Jundiaí que não quis se identificarobteve uma graça ainda maior: conseguiu tirar o filho, de 28anos, das drogas. "São Judas é muito poderoso. Meu filho eraviciado em crack e cocaína, agora já não usa mais nada disso eestá trabalhando, forte e saudável", comemorou. Durante todo odia, a previsão era de que cerca de 450 mil pessoas passassempelo santuário de São Judas Tadeu, em São Paulo, nas 15 missasprevistas. Martirizado na Pérsia (atual Irã), São Judas passoumuito tempo esquecido na Igreja. Isso ocorreu porque ocatolicismo se desenvolveu mais na Europa e ele era confundidocom Judas Iscariotes. O resgate de seu nome teria sido garantidopor Santa Brígida, a pedido de Jesus, que lhe apareceu emvisão. "A partir desse momento, ele passou a ser visto como umgrande intercessor", explicou o padre Eloi José Schons. Pedidosde bênção e proteção às famílias, saúde, paz e emprego são, pelaordem, as principais solicitações dos fiéis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.