PT intensifica chamado para atos contra Temer no Rio; manifestantes se reúnem em Copacabana

No site oficial do partido, foi criado um ambiente exclusivo para publicações sobre as manifestações, batizado de 'Fora Temer Olímpico'

Daniel Weterman e Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

05 Agosto 2016 | 12h50

O Partido dos Trabalhadores (PT) intensificou nas redes sociais nesta sexta-feira, 5, dia da abertura dos Jogos Olímpicos no Brasil, os chamados para manifestações contra o governo interino de Michel Temer (PMDB). Atos estão sendo organizados no Rio de Janeiro, palco da abertura oficial da Olimpíada. Na manhã desta sexta, na praia de Copacabana, milhares de pessoas se reuniram em protesto contra Temer (PMDB) convocado por movimentos sociais reunidos na Frente Brasil Popular, Frente Povo Sem Medo e Frente de Esquerda Socialista. 

No site oficial do partido, foi criado um ambiente exclusivo para publicações sobre as manifestações, batizado de "Fora Temer Olímpico". 

A legenda chama o dia de hoje como o "Dia de Vaia", sinalizando apoio às manifestações durante a abertura oficial do evento, no Estádio do Maracanã, a partir das 20h. Uma das publicações compartilhadas pelo PT no Twitter, do usuário Carlos Villa, afirma que "Hoje bilhões de pessoas ouvirão: #ForaTemer #VazaTemer #GolpistasFora e o sonoro #VoltaDilma."

Também no Twitter, o PT destaca os protestos dentro dos locais onde ocorrem os jogos. "Estádio de futebol também é lugar pra dizer #ForaTemer", diz uma mensagem com uma foto de manifestantes segurando cartazes contra o peemedebista, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF), onde ocorreram partidas de futebol nesta qa-feira, 4.

A presença do cantor Chico Buarque na ocupação do movimento Ocupa MinC RJ, na casa de espetáculos Canecão, durante a noite de quinta-feira, também ganhou destaque nas publicações do partido.

Outras organizações, como a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a União Nacional dos Estudantes (UNE), também reforçam apoio às manifestações contra Michel Temer no dia de abertura da Olimpíada.

Protesto. Por volta das 12h30, manifestantes fecharam a pista da orla de Copacabana junto aos prédios após a passagem de uma comitiva, quando os ativistas intensificaram os gritos de "Fora Temer". Taxistas, impedidos de seguir, começaram a buzinar e houve um princípio de tumulto. A Polícia tentava, até 12h30, liberar o trânsito.

Os manifestantes começaram a chegar por volta das 9h. Na rua Rodolfo Dantas, um grupo de Belo Horizonte vendia desde cedo, a R$ 5, panos de chão estampados com o rosto do presidente em exercício.  “Estamos vendendo pelo preço de custo, só para poder continuar fazendo. A ideia foi da turma de Belas Artes da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais)”, disse o estudante de Ciências Sociais Raul Lansky, de 24 anos. A dona de casa Maria do Socorro Quintão, de 50 anos, foi uma das compradoras. “Vou ter o maior prazer de limpar minha casa com esse”, afirmou.

Em faixas, as palavras de ordem são “Fora, Temer”, “Volta, Querida” e “Stop Coup (Parem em Golpe)”. No hotel Copacabana Palace, credenciados para a Olimpíada assistem à manifestação das sacadas. A manifestação provocou um desvio no tour da Tocha Olímpica.

Dilma. A presidente afastada Dilma Rousseff não divulgou nenhuma publicação em suas redes sociais falando diretamente sobre os atos desta sexta no Rio de Janeiro. Ela postou no Facebook, no entanto, que "as mobilizações que vão barrar o golpe continuam por todo o País". Dilma divulgou a realização do Circo da Democracia, evento que debaterá política e democracia em Curitiba (PR) e que terá a presença da petista na próxima segunda-feira, 8. Há dois dias, Dilma disse em sua conta no Twitter que segue confiante "que a festa olímpica que preparamos para o mundo será um sucesso!" 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.