No Congresso do PT, Suplicy canta Racionais e Bob Dylan

'Ele conseguiu levantar a militância petista', dissse um dos participantes do encontro, que vai até domingo

31 de agosto de 2007 | 18h49

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) deu uma canja ao chegar nesta sexta-feira, 31,  ao 3º Congresso Nacional do PT, em São Paulo. Abordado pelos dois animadores do evento, que estão caracterizados de palhaços, o senador cantou a sua música preferida, "Blowing In The Wind", de Bob Dylan.   Veja Também:   Suplicy canta Blowing in the Wind  Suplicy canta os Racionais no Senado     Suplicy também declamou um trecho do rap "O Homem Na Estrada", dos Racionais MCs. Ao cantar o refrão de "Blow In The Wind", o senador pediu que todos o acompanhassem. "Ele conseguiu levantar a militância petista", disse um dos participantes do congresso.   Antes da  abertura do debate, o ex-presidente da sigla e deputado federal José Genoino (SP) disse que tem a consciência tranquila, mesmo tendo que responder a processos por formação de quadrilha e corrupção ativa no Supremo Tribunal Federal (STF), no caso do mensalão. "Não ofereci benefício, não recebi benefício. Os empréstimos são absolutamente legais. Moro há 24 anos na mesma casa, meu patrimônio não mudou", afirmou Genoino a jornalistas, acrescentando que vê fragilidade nos indícios em que se basearam a decisão do Supremo na última terça-feira. Ex-presidente da Câmara, o deputados federal João Paulo Cunha (SP) disse que vive "um calvário" depois de ser considerado réu pelo STF, junto a outros ex-dirigentes petistas, incluindo Genoino, o ex-tesoureiro Delúbio Soares, o ex-secretário-geral Silvio Pereira e os ex-ministros José Dirceu e Luiz Gushiken. "Eu deixaria todos os meus mandatos, toda a minha militância para não ter tido nenhum minuto dessa tormenta, que é muito dura", afirmou ele.   O Congresso Nacional do PT reúne até domingo 931 delegados, que vão discutir mais de 70 propostas que vão da antecipação da escolha da direção partidária até a possibilidade de candidatura na eleição presidencial de 2010. Dirigentes da legenda não descartam apoiar um candidato de um partido aliado à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que no sábado participará no Congresso petista.     

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.