No CE, prefeito, vice e 10 secretários são alvo de operação do MP

Diretores de autarquias e o procurador-geral de Quixeramobim também são suspeitos por desvio de R$ 5,8 milhões

Lauriberto Braga

09 Abril 2013 | 13h42

FORTALEZA - O prefeito de Quixeramobim, a 210 quilômetros de Fortaleza, Cirilo Pimenta (PSD) e o vice Tarso Borges estão entre os procurados pela Polícia Federal, em operação deflagrada pelo Ministério Público para investigar denúncias de corrupção na cidade. São suspeitos de envolvimento e tiveram mandados de prisão decretados o procurador-geral do município, Ricardo Alexander Cavalcante, dez secretários municipais e diretores de autarquias.

 

A ação realizada no Ceará integra uma séria de ações do Ministério Público realizada em 12 Estados para investigar denúncias de corrupção. Em Quixeramobim o MPF constatou desvio de R$ 5,8 milhões por meio de fraudes em licitações.

 

O Ministério Público do Ceará informa que 26 pessoas são investigadas. Há ordem de prisão, do afastamento imediato de Cirilo Pimenta por 180 dias. Para os demais gestores municipais a ordem é também de afastamento por 180 dias, quebra do sigilo bancário e fiscal. Foi determinado que a Câmara Municipal realize sessão extraordinário para nomeação de um novo prefeito por prazo de 180 dias. Há ainda ameaça de pedido de intervenção estadual em Quixeramobim.

 

Bahia. Agentes da Polícia Federal cumpriram cinco mandados de busca e apreensão na Bahia como parte da Operação Máscara Negra, que também faz parte das ações nos demais Estados. Quatro dos mandados foram cumpridos em Salvador e um em Serrinha, a 173 quilômetros da capital, e os agentes recolheram computadores, documentos e contratos em empresas de produção de eventos.

 

 

Mais conteúdo sobre:
mpcorrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.