No bastidor, guerra das ameaças

Tucanos e petistas levantam suspeitas sobre Lula e FHC

Christiane Samarco, O Estadao de S.Paulo

14 de fevereiro de 2008 | 00h00

Diante da constatação geral de que nem mesmo um acordo entre governo e oposição seria capaz de blindar a família presidencial contra eventuais denúncias, uma vez instalada a CPI dos Cartões, tucanos e petistas movimentam-se no bastidor fazendo uso do mesmo instrumento: uma espécie de ventilador de ameaças múltiplas, que espalha suspeitas por todos os lados.Em conversas informais, ministros e líderes governistas defendem-se das denúncias de mau uso dos cartões no atual governo, lembrando que os seguranças de Lurian, filha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, podem ser os mesmos que acompanhavam as viagens de Paulo Henrique Cardoso, filho ex-presidente Fernando Henrique, inclusive no exterior.Um governista com trânsito livre no Planalto comentou que há registros de jantares de Paulo Henrique em Roma. O parlamentar, que pede para não ser citado, faz questão de lembrar o "gosto refinado" de FHC para vinhos e gravatas, sugerindo que esses itens estariam na lista dos gastos do governo. Os tucanos devolvem as insinuações citando frase cifrada do próprio FHC, dando conta de que era ele quem pagava seus ternos e os vestidos de sua mulher Ruth.Não por acaso, o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), fez questão de desfilar por salões e gabinetes do Congresso ao lado do ex-secretário-geral da Presidência Eduardo Jorge Caldas Pereira. A quem encontrou pelo caminho na tarde de segunda-feira, Eduardo Jorge dizia estar "absolutamente seguro" de que a CPI não ameaça em nada FHC e seus familiares. "Segurança acompanhar filhos do presidente é normal, mas despesas pessoais com recursos públicos não houve. Não temos receio de nada", disse o ex-ministro tucano. "Não se encontrará um tostão de despesas pessoais da família de Fernando Henrique."Guerra e seu antecessor na direção tucana, senador Tasso Jereissati (CE), queixaram-se da suposta tentativa de desviar o foco das denúncias, levantando suspeitas sobre tucanos. "Estão tentando jogar lama sem razão, porque não há uma denúncia contra o governo passado", reclamou Eduardo Jorge. Petistas dizem que Lula comprou carnes no açougue Reisman, que se intitula como "a grife da carne", mas os jantares de rotina de FHC no Alvorada eram preparados pela chef Roberta Sudbrack. Fernando Henrique tenta encerrar a polêmica: a CPI deve ser feita para o governo Lula, já que as notas da sua gestão estão disponíveis para consulta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.