No ABC, Dilma promete crescimento e mais empregos

Ao lado do presidente Lula, a candidata do PT defendeu que todo governo tenha um 'único lado'

Gustavo Uribe e Daiane Cardoso, da Agência Estado,

23 de agosto de 2010 | 10h39

SÃO PAULO - No berço político do PT, a região do ABC paulista, a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, afirmou nesta manhã que, se eleita, um dos principais focos de seu governo será o crescimento econômico que garanta a geração de emprego. Ao lado de seu principal cabo eleitoral, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a candidata defendeu que todo governo tenha um "único lado". "E o nosso lado é um só: o lado do crescimento econômico com emprego. E emprego de qualidade para os brasileiros", disse para uma plateia de cerca de 6 mil pessoas, na porta da Mercedes-Benz, em São Bernardo do Campo, em comício hoje, às 5h30.

 

Veja também:

Lula apresenta a 'presidenta' Dilma para os metalúrgicos

Desorganização em evento de Dilma no ABC irrita Lula

 

"Eu vim aqui para assumir um compromisso: que é cuidar e levar em consideração o direito dos trabalhadores deste País", disse Dilma. "O governo Lula teve em vocês o seu foco principal e esse é também meu compromisso", disse a candidata, arrancando aplausos e gritos do público. No curto discurso, de cerca de sete minutos, Dilma citou Lula mais uma vez e afirmou que não irá cometer erros, se eleita. "O presidente disse que como trabalhador, não poderia errar. Como mulher, eu não posso errar também, senão jamais uma mulher chegará novamente à Presidência."

Lula e Dilma chegaram pontualmente à porta da Mercedes-Benz, às 5h30. O horário foi escolhido por ser a troca de turno dos funcionários da empresa. De acordo com membros do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, a empresa liberou os trabalhadores a entrarem mais tarde, após o evento. Desde as 5 horas, um dos jingles da campanha da petista já tocava nas caixas de som do caminhão que serviu de palanque para Dilma. Aos poucos, funcionários e militantes chegaram ao local, sendo cumprimentados com um sonoro "Bom Dilma!", dito ao microfone por um dos sindicalistas.

Corrida estadual. Antes de Dilma, o candidato do PT ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante, destacou, em discurso, a importância da região do ABC que, de acordo com ele, foi onde o PT "começou a mudar a história do País." "Foi aqui, na porta de fábrica, que avançamos na luta pela democracia. Foi aqui que os metalúrgicos projetaram o Lula para o resto do Brasil." O discurso do petista, o mais inflamado da manhã, criticou a gestão do PSDB à frente do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo, e prometeu, se eleito, trabalhar em conjunto com o governo federal.

O petista criticou também a gestão dos tucanos na área da educação. "Não adianta falar apenas de Etecs e Fatecs, se a maioria dos jovens infelizmente não têm chances de entrar nas boas escolas." O petista defendeu ainda que os professores da rede pública sejam tratados com respeito, "e não com borrachadas e desprezo", em uma referência à atuação da polícia durante manifestações do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo, a Apeoesp.

Além de Mercadante, discursou também a candidata do PT ao Senado, Marta Suplicy, que destacou a importância do comparecimento de Dilma no ato. "Não dá para virar presidente sem olhar nos olhos dessa gente", afirmou. Ao lado da ex-prefeita de São Paulo, estavam no evento os coordenadores da campanha do PT à sucessão presidencial, os deputados federais Antonio Palocci (PT-SP) e José Eduardo Martins Cardozo (PT-SP), o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) e antigos colegas dos petistas no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.