Celso Itiberê/ Presidência/Divulgação
Celso Itiberê/ Presidência/Divulgação

'Ninguém pensa que haverá autoritarismo', diz Temer em NY sobre eleição

Na avaliação do presidente, que está nos Estados Unidos para a Assembleia-Geral da ONU, hoje não há condições no País para violar princípios democráticos

Beatriz Bulla e Ricardo Leopoldo, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2018 | 16h14

NOVA YORK - O presidente Michel Temer afirmou em evento junto a empresários em Nova York que “não há risco de retorno a um sistema autoritário”. Após dizer aos investidores estrangeiros que nenhum candidato às eleições de 2018 “pôs em dúvida a democracia”, Temer reiterou à imprensa que “ninguém pensa que haverá autoritarismo” no País. Na reunião, o presidente também disse que vai tentar votar a Reforma da Previdência após as eleições

“O que eu disse claramente é que hoje não há condições para violar princípios democráticos. Ninguém pensa que haverá autoritarismo. O que vai acontecer é o cumprimento da Constituição”, disse Temer.

A fala do presidente a um público de investidores estrangeiros vem poucos dias após a revista britânica The Economist dedicar a capa à candidatura do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). A publicação estrangeira afirmou que Bolsonaro poderia colocar a democracia no Brasil em risco.

A empresários, Temer afirmou que não há espaço para “alternativas” à democracia. “Não há nenhum risco de violação dos princípios institucionais no Brasil. Não há risco de retorno a um sistema autoritário, não há absolutamente nada disso”, repetiu o presidente à imprensa ao deixar o encontro.

Ele participou de almoço com empresários organizado em Nova York pela Brazil-U.S. Business Council. Amanhã, Temer faz o discurso de abertura da 73ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.