Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

‘Ninguém governa sozinho’, diz líder do DEM sobre manifestações pró-Bolsonaro

Elmar Nascimento defendeu o diálogo e o respeito a opiniões divergentes; em atos, Congresso foi alvo

Equipe AE, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2019 | 18h40

Um dos principais nomes do Centrão, o líder do DEM, deputado Elmar Nascimento (BA), defendeu o “diálogo” e o respeito às “opiniões divergentes” após o Congresso ­ser um dos principais alvos de manifestantes nas ruas neste domingo, 26. Em nota, Elmar mandou um recado aos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro: “Ninguém governa sozinho”.

Os atos deste domingo tiveram como mote a aprovação de propostas do governo, como a reforma da Previdência e o pacote anticrime elaborado pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, mas também houve muitas críticas ao Congresso e à classe política, apontados como responsáveis por impedir que Bolsonaro consiga levar adiante suas promessas de campanha.  Ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF) também estiveram presentes em faixas e cartazes de manifestantes neste domingo.

“O radicalismo e a beligerância nunca levaram a lugar algum e, neste momento, é preciso unir esforços para atingir a um objetivo comum, real e urgente: a recuperação da economia nacional, com a geração de empregos e renda, assim como a melhoria da saúde, da educação e o enfrentamento da violência”, afirma o parlamentar. (Equipe AE)

Leia abaixo a nota completa:

Líder do Democratas na Câmara, deputado Elmar Nascimento (BA):

Como defensor da democracia, das opiniões divergentes e do diálogo, respeito os manifestantes que saíram às ruas neste domingo. Ressalto que a maioria deles manifestou-se a favor da reforma da Previdência e do pacote anticrime, ambos em tramitação no Legislativo. Desta forma, a Câmara e o Senado são fundamentais no processo de aprovação das duas pautas. O STF também é pilar da democracia e, tenho certeza, contribuirá para o fortalecimento das instituições. Ninguém governa sozinho.

Com diálogo e respeito é possível avançar nestas e em outras pautas, como tem feito a Câmara dos Deputados nos debates recentes sobre a reforma tributária, o barateamento das passagens aéreas, o fim da restrição para acesso a dados sigilosos e a autonomia para aplicação de recursos para estados e municípios, entre outros temas.

O radicalismo e a beligerância nunca levaram a lugar algum e, neste momento, é preciso unir esforços para atingir a um objetivo comum, real e urgente: a recuperação da economia nacional, com a geração de empregos e renda, assim como a melhoria da saúde, da educação e o enfrentamento da violência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.