'Ninguém era indiferente a ACM', diz senador Jefferson Peres

Senador baiano faleceu na manhã desta sexta-feira, por falência múltipla dos órgãos

20 de julho de 2007 | 13h28

"Ninguém era indiferente ao senador Antonio Carlos Magalhães", afirmou o senador Jefferson Peres (PDT-AM). ACM morreu nesta sexta-feira, 20, às 11h40 no Incor-SP por falência múltipla dos órgãos.   Veja também:  Morre o senador Antonio Carlos Magalhães  Galeria de Fotos  ACM visita o Estado de S. Paulo    "Não tem como haver indiferença a um político de grande estatura, do porte dele, assim como não dava para ser (indiferente) a outros de ideologias ímpares, mas de tamanha importância no cenário nacional como Carlos Lacerda ou Leonel Brizola". Para o senador amazonense, ACM sempre demonstrou ter "fortíssima personalidade".   "Ele sempre soube distinguir picuinhas pessoais do profissional e, ao contrário do que se pensa, podia ser explosivo, sim, mas não era um homem rancoroso".   Peres lembrou de um episódio que marcou a carreira do político baiano para confirmar sua falta de rancor por "águas passadas". No episódio em que ACM renunciou por suspeitas de ter violado o painel do Senado, Peres afirmou ter se colocado contra a suposta atitude do colega.   "Quando ele foi eleito novamente, me cumprimentou e nos falamos como se não houvesse acontecido nada, com o respeito de sempre, embora quase sempre pensássemos muito diferente sobre as coisas da política".

Tudo o que sabemos sobre:
Morte do ACM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.