Nicéa pede quebra de sigilo telefônico de ACM

O juiz Alex Tadeu Monteiro Zilenovski, da 11ª Vara Criminal Central de São Paulo, vai decidir se quebra o sigilo telefônico do senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA). O pedido foi feito nesta sexta-feira pela advogada Andrea Guedes Miquelin, que defende a ex-primeira-dama de São Paulo Nicéa Pitta, na queixa-crime movida por ACM.O objetivo do requerimento é comprovar as supostas ligações feitas pelo senador ao ex-prefeito Celso Pitta (PTN), pelas quais teria exigido o pagamento de contas atrasadas para a construtora OAS - empreiteira do ex-genro do senador. A advogada requereu ainda ao juiz que ele oficie a Secretaria das Finanças para que sejam enviados documentos que comprovem o remanejamento de verbas feito por Pitta para pagar as contas da Prefeitura com a OAS. O juiz determinou nesta sexta-feira que o Ministério Público Estadual (MPE) dê um parecer sobre os pedidos antes de decidir. Nicéa está sendo processada por ACM, acusada de difamação e injúria. Ela afirmou em entrevista à Rede Globo de Televisão, exibida no dia 10 de março do ano passado, que ACM pressionou Pitta durante sua gestão a pagar as dívidas com a empreiteira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.