Ney Suassuna depõe no Conselho de Ética do Senado

A 18 dias das eleições, o Conselho de Ética do Senado já toma o depoimento de Ney Suassuna (PMDB-PB), acusado pela CPI dos Sanguessugas de integrar a máfia.O relator do caso, Jefferson Peres (PDT-AM), disse que entrega seu parecer na semana que vem. "Mas acho difícil que, às vésperas das eleições, haja quórum para votá-lo."O conselho já ouviu Darci e Luiz Antonio Vedoin, donos da Planam (empresa do esquema), que complicaram a situação do senador ao afirmar que ele recebia propina por meio de um assessor.Além de Suassuna, são suspeitos Magno Malta (PL-ES) e Serys Slhessarenko (PT-MS) - eles negam.Ainda hoje, o órgão ouve Hazenclever Lopes Cançado, chefe de gabinete de Malta, e José Luiz Cardoso, em nome de quem estaria registrado o carro emprestado ao senador pelo deputado acusado Lino Rossi (PP-MT).Também hoje, há acareação entre Luiz Antonio, Paulo Roberto, genro de Serys, e Ivo Spínola, genro de Darci, para acabar com contradição sobre participação da senadora. Darci não irá por problemas de saúde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.