Neto de assassino de Chico Mendes é preso por homicídio

O adolescente A.R.A, de 17 anos, foi preso em Xapuri, no Acre, no último sábado, acusado pelo assassinato do estudante Raele Lorenzone do Nascimento, de 20 anos. O suspeito é neto do fazendeiro Darly Alves da Silva, que cumpre pena por participação no assassinato do líder sindical e ambientalista Chico Mendes, em dezembro de 1988. O estudante foi atingido por dez golpes de faca e morreu quando estava sendo socorrido, segundo a Polícia Civil do Município. O crime teria sido cometido como uma revanche do adolescente contra Nascimento, com quem teria protagonizado uma briga de rua durante o feriado de Finados, dois dias antes. A mãe da vítima, Neuza Maria Lorenzoni, afirma que o crime foi anunciado e pediu providências à polícia. "Ele disse que ia matar meu filho e matou. Avisei a polícia, mas ninguém levou a sério", afirmou. O delegado Mardilson Vitorino, titular da Delegacia de Polícia de Xapuri, não foi localizado na manhã desta segunda-feira. Por questões de segurança, A.R.A foi recolhido à prisão de Epitaciolândia, cidade vizinha a Xapuri e deve ser transferido para a Pousada do Menor, em Rio Branco.Chico MendesChico Mendes foi um seringueiro, sindicalista e ativista ambiental brasileiro, que lutou contra a extração madeireira e a expansão dos pastos na Amazônia.Fundou um sindicato de seringueiros numa tentativa de preservar suas profissões e a floresta tropical. Teve um papel importante na fundação do Conselho Nacional dos Seringueiros e na formulação da proposta das Reservas Extrativistas para os seringueiros, conseguindo apoio internacional para sua luta.Em 1987, Chico Mendes foi premiado pela ONU com o prêmio "Global 500", que anualmente homenageia as 500 pessoas que mais se destacaram na defesa e pesquisa do meio ambiente no mundo todo.Em 22 de dezembro de 1988, Chico Mendes é assassinado na porta de sua casa. Em 1990, os fazendeiros Darly e Darcy Alves da Silva foram considerados culpados pelo assassinato e condenados a 19 anos de reclusão. Em 1993, eles escaparam da prisão e foram novamente capturados em 1996. O caso Chico Mendes despertou a atenção internacional para os problemas dos seringueiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.