Epitácio Pessoa/AE
Epitácio Pessoa/AE

Netinho diz que PC do B deu garantia de sua candidatura

Em entrevista à TV Estadão, pré-candidato à Prefeitura de São Paulo descartou a ideia de ser vice de Haddad

Flávia D'Angelo, do estadão.com.br,

14 de dezembro de 2011 | 20h15

O vereador e pré-candidato do PC do B à Prefeitura de São Paulo, Netinho de Paula, afirmou nesta quarta-feira, 14, que tem a garantia de seu partido de que será candidato à disputa municipal em 2012 e considerou que o PC do B nunca teve um postulante com chances reais de disputa em São Paulo. O pré-candidato disse ainda que a análise de que a eleição em São Paulo só terá dois lados é uma aposta dos "mais conservadores". "Nós estamos diante de um momento novo na política paulistana. A maioria dos partidos entende que devemos aproveitar esse momento de renovação política", afirmou, ressaltando que a população paulistana está ávida por mudanças.

 

O pré-candidato do PC do B concedeu entrevista à TV Estadão. Ele refutou mais uma vez a ideia de ser vice em uma dobradinha entre PT e PC do B, que teria como cabeça de chapa o pré-candidato e ministro petista Fernando Haddad. De acordo com ele, embora a aliança entre os dois partidos seja antiga, o ministro é novo e ainda "não foi testado em termos de pesquisa". "Por sorte, temos hoje uma candidatura que, em termos de pesquisa de intenção de votos, tem o candidato aparecendo mais que o candidato do PT", afirmou. A última edição da pesquisa Datafolha, divulgada no último fim de semana, mostrou o pré-candidato do PC do B com 13% das intenções de voto, enquanto o pré-candidato do PT teve 3%.

 

O vereador se mostrou confiante em uma composição com o PT, embora não tenha dado sinais de que pretende apoiá-lo, caso os petistas optem por outro partido para compor uma chapa para a disputa municipal. Para ele, o PT errou ao retirar a senadora Marta Suplicy da sucessão à Prefeitura de São Paulo. "Ela aparecia melhor nas pesquisas. O PT não agiu como deveria ao tirá-la desse cenário". O pré-candidato do PC do B avaliou ainda que as denúncias de envolvimento de membros do partido em suposto esquema de desvio de dinheiro para ONGs não serão usadas na sua futura campanha por seus adversários, uma vez que o assunto, segundo ele, já está esclarecido. "Se forem exploradas, nós estamos prontos para debater", disse. Segundo ele, o partido adotou a postura da "transparência" no episódio e, se houver erros, eles serão corrigidos. "Não caminhamos com culpa. Temos perseverança e estamos muito motivados", disse.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012NetinhoPCdoB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.