'Nenhum país se transformou numa grande economia sem educação técnica e profissionalizante', diz Dilma

'Nenhum país se transformou numa grande economia sem educação técnica e profissionalizante', diz Dilma

Presidente recebeu no Planalto os vencedores brasileiros do World Skills 2015, a mais importante competição de educação profissional do mundo e falou sobre os programas de incentivo à educação

Elizabeth Lopes e Letícia Sorg, O Estado de S. Paulo

02 de setembro de 2015 | 12h39

SÃO PAULO - A presidente Dilma Rousseff, afirmou, nesta quarta-feira, 2, que o governo federal está no caminho certo, o da parceria. A declaração foi dada durante rápido discurso na cerimônia em que recebeu vencedores brasileiros do WorldSkills 2015, a mais importante competição de educação profissional do mundo, no Palácio do Planalto. "O tamanho do nosso sucesso é medido pelo tamanho do nosso esforço. Não existe sucesso que exista sem força de vontade e determinação. Numa disputa, a qualidade dos adversários é importante", disse ela, aos jovens premiados em competição com equipes de todo o mundo.  

Aos jovens, ela citou a importância de programas da gestão petista, como o Bolsa Família. "Cada centavo que o governo federal investiu no Pronatec valeu a pena e dá um enorme retorno para o País, estamos hoje construindo o futuro do Brasil", destacou. E falou ainda que os competidores demonstraram algo fundamental, determinação, dedicação e capacidade conjunta de trabalho. Dilma enfatizou a importância da educação profissional, dizendo que "nenhum país do mundo se transformou numa grande economia sem educação técnica e profissionalizante".

E citou que o Brasil está passando por mudanças, como o fim do ciclo de alta das commodities, assim como o mundo, e que nessa transformação "o ensino técnico e profissionalizante é a maior alavanca para o crescimento no futuro". Dilma elogiou também sobre os institutos tecnológicos e de inovação do Senai. "Este é o Brasil que vai pra frente." 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.