André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

'Nenhum homem público deve se colocar acima da investigação', diz Renan Calheiros

O líder do PMDB no Senado manifestou-se pela primeira vez após inclusão do seu nome na 'Lista Janot'

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

15 Março 2017 | 19h32

BRASÍLIA - O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), afirmou nesta quarta-feira, 15, que "sempre defendeu qualquer investigação" da Justiça. "A investigação é a oportunidade de se demonstrar o contrário. Acho que nenhum homem público deve se colocar acima da investigação", declarou.

Esta foi a primeira vez que Renan se manifestou sobre a inclusão do seu nome na lista de pedidos de abertura de inquérito do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviada ontem ao Supremo Tribunal Federal (STF). Os pedidos são baseados nas delações premiadas da Odebrecht. Renan já é alvo de 12 inquéritos na Corte.

Ele destacou que tem colaborado "como pode" com as investigações. "Continuarei colaborando para esclarecer tudo, absolutamente tudo. Ninguém mais do que eu tem isso como objetivo." O presidente conversou com a imprensa após reunião da bancada do PMDB.

Renan disse ainda que os peemedebistas vão jantar hoje com o presidente Michel Temer, mas não especificou o tema do encontro. A reunião da bancada com Temer acontece um dia após o envio da "lista de Janot" ao Supremo, que deve atingir a cúpula do partido. Também ocorre uma semana após Renan intensificar críticas ao governo e à reforma da Previdência. "Todos devem conversar francamente, abertamente, porque conversar não arranca pedaço", defendeu o senador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.