Nem Mantega, nem Amorim estão confirmados ou descartados, diz Temer

Vice também indicou que sua recente proposta de manter o atual mapa dos ministérios foram apenas 'sugestões'

Ariel Palacios, de O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2010 | 19h11

BUENOS AIRES - Michel Temer (PMDB), vice-presidente eleito da República e atual presidente da Câmara de Deputados, relativizou nesta sexta-feira, 12, os rumores que circulam no Brasil que indicam que a presença do ministro da Fazenda, Guido Mantega, na viagem da presidente eleita Dilma Rousseff à Coreia do Sul seria uma confirmação de sua presença no futuro gabinete.

 

Simultaneamente, relativizou os boatos de que a ausência do chanceler Celso Amorim nessa viagem indicaria que estaria descartado. "Eu não acredito muito nessas chamadas 'mensagens', ou seja, a de que a presidente Dilma foi com Mantega mas não foi com Amorim, e que isso significaria de que o Amorim está descartado", disse Temer em conversa com os correspondentes brasileiros em Buenos Aires.

 

"Não me parece... Eu não consigo fazer essas leituras. Essas coisas evoluem tanto ao longo das discussões sobre a ocupação dos ministérios, que nem sei se Mantega vai continuar... Nem sei se Amorim será descartado. Eu não faria a leitura que está sendo feita. Eu tenho muito medo de leituras, de mensagens, que nem sempre refletem uma realidade", afirmou o vice-presidente eleito, que participou na quinta e sexta-feira do Sexto Foro de Parlamentares Ibero-americanos.

 

Temer também indicou que sua recente proposta de manter o atual mapa dos ministérios foram apenas "sugestões": "o que eu fiz foram sugestões. A primeira delas foi a de manter o quadro tal como está. A segunda sugestão foi a de que, se houvesse uma necessidade de modificação, teria que ser feita uma espécie de compensação. Mas foi uma sugestão. Não significa que seja uma decisão". Temer afirmou que a equipe de transição se reunirá na terça-feira. No entanto, indicou que a presidente Dilma não se reunirá com o grupo nesse dia. "Ainda não há uma data definida para a reunião com a presidente".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.