"Nem a Madona teve tanta publicidade quanto Roseana"

O governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, criticou hoje o excesso de exposição no programa eleitoral e na mídia da governadora do Maranhão, Roseana Sarney. "Nem a Madona (a cantora americana), no auge de sua fama, teve tanta publicidade", disse ele, em entrevista coletiva. Ele acredita que o crescimento da candidatura de Roseana é real mas "não é para valer". Na sua opinião, o PFL, ao lançar o nome da governadora, está apenas se credenciando para compor com um outro candidato governista.Ao se referir ao presidente da Câmara, Aécio Neves, um dos cotados para a disputa presidencial, e a própria Roseana, Garotinho comentou que é "político sem pedigree" e que venceu por seus méritos. "O sobrenome às vezes ajuda mas às vezes atrapalha", afirmou. O governador fez uma análise do quadro eleitoral para 2002. Para ele, a eleição irá representar uma marco para a história do País. "Uma nova geração de políticos vai ascender e uma outra, com suas práticas velhas, vai ficar para trás", disse.Apesar de criticar a exposição da governadora do Maranhão, Garotinho disse que vai usar o horário eleitoral do PSB para tentar crescer nas pesquisas. Ele avaliou que poderá ampliar em dois pontos a sua preferência pelo eleitorado com essa estratégia. Atualmente, Garotinho detém 8%. "Quero crescer 2% porque não adianta crescer fora de hora", afirmou. Garotinho participou hoje pela manhã de uma solenidade em homenagem ao cinqüentenário da igreja do Evangélio Quadrangular, no plenário da Câmara. Em seguida, gravou entrevistas e, à noite, participará de uma reunião do PSB na Ceilândia, cidade satélite de Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.