Negri promete prevenção para evitar nova epidemia de dengue

O ministro da Saúde, Barjas Negri, garantiu que fará um trabalho permanente de prevenção à dengue para evitar nova epidemia no próximo ano. Ele participou hoje do "Dia D? contra a doença, mobilização para tentar interromper a epidemia que, no Estado, já fez mais de 70 mil vítimas e matou 27 pessoas. "Voltarei aqui em 30 dias, e faremos um balanço da situação. Com certeza o número de casos será menor", afirmou.A mobilização começou em tom mais oficial que popular. Na abertura da programação, na Quinta da Boa Vista, muitos políticos, voluntários, agentes de saúde, mas poucas pessoas comuns. Uma das poucas que se aventuraram a enfrentar o calor de 35°C para participar do evento. Cerca de 200 eventos foram programados para todo o Estado. "O governo tem que fazer sua parte, mas o povo pode ajudar a acabar com a dengue. Foi assim com o racionamento, vai ser assim com a dengue", afirmou o secretário municipal de Saúde, Ronaldo Cesar Coelho. Ele prometeu repetir a mobilização, mas no mês de outubro, antes do início das chuvas. O secretário informou que o trabalho dos carros-fumacê (que borrifam veneno para matar os mosquitos) será mantido durante todo o ano. A recepcionista Tereza Pinho, considerou importante a mobilização. "Incentiva a pessoa a tomar medidas em casa. Tenho uma prima que teve dengue, ficou duas semanas de cama, e vi como é ruim", disse ela, que levou o filho Pedro Henrique. A doméstica Heloísa Rodrigues Reis, moradora da Rocinha, levou um maço de panfletos ensinando com prevenir a dengue para distribuir na vizinhança. "Tenho seis crianças em casa. Não posso deixar a dengue entrar lá de jeito nenhum", contou. LimpezaO movimento Viva Rio também se engajou no Dia D e convocou 700 voluntários para limpar os trilhos do ramal ferroviário da Central do Brasil. Pela expectativa da Supervia, concessionária dos trens, o mutirão encheria 25 vagões de lixo - sacos plásticos e copos que acumulam água. ?Os fabricantes de plásticos deveriam tomar medidas para recolher seu lixo também", reclamou o coordenador do Viva Rio, Rubem César Fernandes. Rubens da Silva, morador de Botafogo, deixou o dia de praia e foi à estação de trem da Mangueira para colaborar na limpeza. "Tenho uma filha pequena em casa. Tenho que ajudar a evitar essa doença", explicou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.