Negócios comuns vêm de longe

Amigo de infância do senador Renan Calheiros, o empresário Ildefonso Antônio Tito Uchôa Lopes manteve-se sempre a seus negócios pessoais. Foi Renan quem o indicou para a Delegacia Regional do Trabalho, no governo FHC, e o emplacou, em seguida, na Secretaria do Turismo alagoana, no governo de Ronaldo Lessa.Enquanto Renan se firmava como político nacional, Tito ampliava os negócios em áreas como turismo e comércio de veículos. Os negócios de ambos se cruzam em vários momentos. Em reportagem publicada pelo Estado em junho, Tito Uchôa admitiu que tem em seu nome uma fazenda - a Corte Novo, atual Alagoas, em Murici, que é do senador. Além das emissoras de rádio, Tito consta como sócio do filho de Renan em uma gráfica em Maceió, a Correio Gráfica, Editora e Produtora Ltda. Ela foi registrada com capital de R$ 1,050 milhão - R$ 300 mil de Tito, R$ 150 mil de Renan Filho e o restante de outros sócios. Renan Filho e Tito ainda são sócios do Sistema Costa Dourada de Radiodifusão Ltda. No início da crise, quando Renan disse ter pago pensão à jornalista Mônica Veloso com dinheiro de negócios com gado, Tito Uchôa foi escalado para levantar documentos que pudessem comprovar a origem dos recursos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.