Negociações falham e greve de petroleiros persiste na Noruega

As negociações entre os trabalhadores petroleiros da Noruega e seus empregadores sobre pagamentos e pensões falharam pela terceira vez neste domingo, com risco de uma interrupção total da produção de petróleo e gás no país a partir da terça-feira, disseram os dois lados envolvidos nas tratativas.

Reuters

08 de julho de 2012 | 10h45

A associação da indústria do petróleo na Noruega (OLF) e sindicatos trabalhistas disseram que ainda não chegaram a um acordo sobre uma opção de aposentadoria para cerca de 7 mil trabalhadores, principal ponto de paralisação na disputa.

"A greve continua. Essa é uma situação muito grave", disse Jan Hodneland, chefe de negociação da OLF, após 13 horas de discussões, que terminaram na manhã deste domingo (local).

O governo detém autoridade para forçar o término da greve se acreditar que a segurança está sendo comprometida, ou que os interesses nacionais podem ser prejudicados.

Um porta-voz do Ministério do Trabalho encarregado de monitorar o conflito trabalhista, disse à Reuters neste domingo que o governo não possui planos imediatos para intervir na greve do setor petrolífero, que começou no último dia 24.

A paralisação já reduziu a produção de petróleo da Noruega em cerca de 13 por cento, e a produção de gás em aproximadamente 4 por cento, além de afetar os embarques de petróleo do oitavo maior exportador mundial da commodity.

A Noruega é ainda o segundo maior fornecedor de gás da Europa.

(Reportagem de Nerijus Adomaitis)

Tudo o que sabemos sobre:
GERALNEGOCIACOESNORUEGA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.