Negociação das reformas começa com aliados, diz Rebelo

O líder do governo na Câmara, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), disse que as próximas duas semanas serão dedicadas a negociações em torno das propostas de reforma previdenciária e tributária. Segundo ele, as articulações começarão pela base aliada. Terça-feira, os líderes da base vão reunir-se, em café da manhã, com o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, na residência de Rebelo, para discutir a reforma tributária. Às 15 horas do mesmo dia, os líderes aliados discutirão a reforma com o relator, Virgílio Guimarães (PT-MG). Na quarta-feira de manhã, será realizada a reunião semanal dos líderes aliados com o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, e, à tarde, os líderes se reunirão com o relator da proposta de reforma da Previdência, deputado José Pimentel (PT-MA). "Vamos buscar formar um acordo com os partidos da base e conversar com alguma simultaneidade com a oposição", disse Rebelo. Segundo ele, é propósito costurar toda a reforma antes de a proposta chegar ao plenário. Quanto ao que não for possível negociar no mérito, será tentado um acordo de procedimento. "O que eu preciso zelar é pela soberania da base", disse o líder. "A unidade da base é a garantia da aprovação das propostas na Comissão Especial e no plenário. Se não tiver unidade, não vai dar para cobrar a disciplina e o voto dos aliados". A proposta de reforma tributária, dentro do prazo para oferecimento de emendas, que expirou sexta-feira, recebeu 466 emendas.

Agencia Estado,

04 de julho de 2003 | 17h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.