Negociação da reforma tributária deve se estender, diz Palocci

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, afirmou hoje que a negociação da reforma tributária entre o Planalto e os governadores vai continuar até final do ano. Ele explicou que, após a aprovação da reforma tributária, ainda há uma longa regulamentação a ser feita. Ele fez tal afirmação diante do pedido feito pelo vice-líder do governo na Câmara, Beto Albuquerque (PSB-RS), que defendeu a conclusão das negociações entre governadores e governo federal sobre a partilha das receitas com os Estados. "Pretendemos continuar dialogando e nem sei se é necessário ter alguma conclusão sobre este assunto antes da apresentação do relatório", disse Palocci. O ministro descartou ainda a possibilidade de haver influência das negociações da reforma da Previdência sobre a tributária. ?Os processos políticos das duas reformas se entrelaçam", afirmou, destacando que os objetivos são muito diferentes. "Não acho que haja condicionantes entre uma reforma e outra." Palocci salientou que não é possível compensar os ganhos ou perdas da reforma da Previdência com a tributária. ?Ao fazer isso com uma, você distorce a outra", explicou. Palocci recebe no seu gabinete os integrantes da comissão especial da reforma tributária para discutir o assunto antes da apresentação do relatório do deputado Virgílio Guimarães (PT-MG), previsto para quinta-feira que vem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.