Negada liberdade para acusado de matar prefeito em SP

A 14ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo negou ontem o pedido de habeas corpus a um dos acusados de envolvimento na morte do prefeito de Jandira, na região metropolitana de São Paulo, por acreditar que a liberdade do acusado comprometeria a investigação do crime.

SOLANGE SPIGLIATTI, Agência Estado

20 de maio de 2011 | 13h26

Wanderley Lemes de Aquino, ex-secretário de Habitação de Jandira, é acusado de ter sido um dos mentores do assassinato do então prefeito da cidade, Wanderi Braz Paschoalin. De acordo com o relator do recurso, desembargador Hermann Herschander, há indícios de autoria do crime baseados em provas colhidas durante o inquérito policial, que fundamentam a prisão de Aquino.

"Não é difícil compreender que sua liberdade colocaria em risco a instrução criminal, já que atemorizaria induvidosamente as testemunhas chamadas a depor sobre os fatos, muitas das quais pediram proteção", disse o relator.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.