Navio com suspeita de contaminação impedido de atracar

Técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária do posto portuário, em Santos, impediram a atracação do navio Russo Annapurna, de bandeira liberiana, por suspeitar de casos de hepatite A entre a tripulação. Trata-se de doença de fácil contágio, pelo ar e pela água. O navio já havia deixado no porto de São Petersburgo, na Rússia, dois tripulantes com sintomas da doença.Segundo Luís Alves, do posto da Anvisa, que acompanhou a inspeção, "quando entramos no navio, encontramos a cozinheira, de 51 anos, desidratada, com febre, diarréia, possivelmente num estágio avançado da doença. Por isso, ela foi encaminhada ao Hospital Beneficência Portuguesa". Logo depois, outro tripulante foi descoberto com os sintomas da doença, e também encaminhado ao hospital. Além disso, a fiscalização encontrou outras irregularidades, como falta de cloro na água de consumo do navio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.