Diogo Xavier/Divulgação
Diogo Xavier/Divulgação

Nardes vai relatar pedido do MP contra acordos com empresas da Lava Jato

Ministro foi escolhido por sorteiro nesta segunda-feira, 23, e vai dar o ritmo de julgamento de pedido do procurador de Contas que questiona acordos entre CGU e empreiteiras

Fabio Brandt, O Estado de S. Paulo

23 Fevereiro 2015 | 19h38


Brasília - O Tribunal de Contas da União (TCU) definiu nesta segunda-feira, 23, por sorteio, que o ministro Augusto Nardes será o relator do pedido feito pelo Ministério Público de Contas para que a corte  proíba o Poder Executivo de fechar acordos com as empresas investigadas na Operação Lava Jato.

Na última sexta-feira, o procurador Julio Marcelo de Oliveira apresentou uma representação em que afirma que a celebração de acordos de leniência entre a Controladoria-Geral da União (CGU), órgão do Executivo, e as empresas será prejudicial às investigações.

Oliveira solicitou que a corte proíba a CGU de fazer acordos com qualquer empresa investigada na Lava Jato que ainda não tenha feito acordo com o Ministério Público Federal.

Agora, caberá a Nardes ditar o ritmo do julgamento do pedido, que não tem data para acontecer ainda. Quando terminar seu relatório sobre o assunto, ele poderá disponibilizar o caso para julgamento no plenário.

Integrantes do MP de contas e técnicos do TCU avaliam que o acordo com a CGU é mais brando do que o acordo com o MPF, fazendo que esse entendimento com o executivo funcione apenas como salvação das empresas sem que elas, na pratica, colaborem com as investigações. A CGU não se pronuncia sobre o tema. 

O advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, tem dito em público que o acordo com a CGU servirá para reforçar a Lava Jato e também para que as empresas mudem eventuais praticas ligadas à corrupção. 

Mais conteúdo sobre:
Operação Lava Jato TCU Augusto Nardes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.