Napolitano volta a defender extradição de Battisti

O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, reiterou hoje que está "convencido" sobre a validade do pedido da Itália para que o Brasil extradite Cesare Battisti, condenado à revelia na Itália por quatro assassinatos cometidos na década de 1970, quando atuava pelo grupo de extrema esquerda Proletários Armados pelo Comunismo (PAC). Battisti foi sentenciado à prisão perpétua na Itália e está foragido desde o começo da década de 1980. Ele está preso no Brasil.

AE, Agência Estado

02 de março de 2011 | 19h46

"Estamos esperando a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil. Nós já expusemos nossos motivos e eu também fiz isso pessoalmente", disse Napolitano, que é um dos líderes da esquerda italiana. "Estou convencido de que são razões válidas", disse Napolitano, durante a inauguração da nova sede do Instituto Italo-Latinoamericano em Roma, evento ao qual participou o presidente do Chile, Sebastián Piñera. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.