'Não tem nada a ver futebol com política', diz Serra

Governador não comenta declaração de Ronaldo, de que Lula mobiliza empreiteiras para o Corinthians

Jamil Chade, de O Estado de S.Paulo,

08 de julho de 2009 | 14h59

O governador de São Paulo, José Serra, alerta que futebol e política não devem se misturar. "Não tem nada a ver futebol com política", afirmou Serra, que nesta quarta-feira, 8, esteve em Genebra para receber um prêmio.

 

No início da semana, o atacante Ronaldo revelou em um programa esportivo que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva estaria mobilizando empreiteiras para ajudar o Corinthians na construção de um Centro de Treinamento. "O presidente Lula é quem mais está ajudando o Corinthians nessa fase. Ele está dando alguns contatos de empreiteiras que podem nos ajudar. O presidente está muito interessado no projeto do Corinthians. Ele é fanático, um corintiano roxo", declarou Ronaldo.

 

Serra, palmeirense, optou por não comentar as declarações do atacante Ronaldo. "Nao soube da intervenção e nem soube do comentário do Ronaldo", disse o governador. O governador apenas indicou que política e futebol não se misturam.

 

O envolvimento de Lula com o Corinthians não se limita à atual gestão. Em 2007, Lula enviou à Londres um representante para negociar investimentos do magnata russo Boris Berezovski noPrograma de Aceleração do Crescimento (PAC). O russo, então responsável pela Media Sports Investment (MSI), empresa que mantinha parceria com o Corinthians, é acusado de fraude e de lavagem de dinheiro em seu país e vive foragido em Londres.

 

"As propostas são firmes. Ele deixou claro que está interessado em investir bilhões no Brasil. Fomos informados de que US$ 2 bilhões estão garantidos no setor do etanol e em portos. Mas esses investimentos poderiam chegar a US$ 10 bilhões no decorrer dos anos e em outros setores de infra-estrutura", disse na época ao Estado o presidente da Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), que representou o governo, Juan Quirós.

 

O contato entre o governo e Berezovski foi feito depois de uma conversa entre o presidente Lula e o ex-presidente do Corinthians, Alberto Dualib. O russo ainda prometia construir um estádio para o time de Parque São Jorge.

 

Texto corrigido às 16h55. Diferentemente do que foi informado, o governador de São Paulo, José Serra, não fez críticas a Lula nem comentou as declarações de Ronaldo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.