‘Não sei se cabe aos militares gostar’, diz Lula

Ex-presidente chamou Dilma de 'chefe suprema' e disse que se ela 'indicou o ministro acabou'

Lu Aiko Otta, enviada especial de O Estado de S. Paulo

05 de agosto de 2011 | 23h01

BOGOTÁ - Diante da reação negativa dos militares à escolha de Celso Amorim para comandar o Ministério da Defesa, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou os descontentes com a nomeação. "Eu não sei se cabe aos militares gostarem ou não gostarem", disse Lula, que está na Colômbia. "Ela (a presidente Dilma Rousseff) é a chefe suprema das Forças Armadas, indicou o ministro e acabou, não se discute."

 

Lula acrescentou que as pessoas precisam entender que, uma vez nomeado, um novo ministro precisa assumir e começar a trabalhar "para ver se vai fazer ou não vai fazer o que precisa ser feito." Para Lula, a presidente escolheu bem e, quanto à competência de Amorim, "tem poucos iguais a ele no Brasil". "Amorim estará qualificado para ocupar qualquer pasta."

 

O ex-presidente afirmou ainda não ter dúvidas de que o novo escolhido "dará conta do recado". Disse considerá-lo "politicamente muito hábil" e lamentou a saída de Jobim. "Acho que não deveria ter acontecido o que aconteceu. Não sei o que aconteceu com o ministro Jobim, mas aconteceu. Agora é tocar o barco e, como diria um bom sindicalista, a luta continua."

 

O ex-presidente falou durante a entrega de prêmios da Fundación Éxito, que combate a desnutrição infantil e estimula programas de atenção à primeira infância na Colômbia.

 

No discurso, não perdeu a chance de comparar seus programas sociais no Brasil com os anteriores, alfinetando o governo Fernando Henrique.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.