Não se deve fazer com que todo político seja considerado corrupto, diz Gilmar

Presidente do TSE afirma que não se pode substituir a classe política por juízes ou promotores

Rafael Moraes Moura, O Estado de S.Paulo

05 de dezembro de 2017 | 12h23

BRASÍLIA - O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, afirmou nesta terça-feira, 5, que não se deve pensar que todos os políticos são corruptos. "Temos de ter a política limpa, ativa, mas não podemos fazer isso de lenda política ou tentar fazer com que todos os políticos sejam considerados elementos negativos da sociedade ou corruptos", disse Gilmar a jornalistas, depois de participar do "Seminário Poder Judiciário e Eleições: desafios para o fortalecimento da democracia", em Brasília.

Gilmar afirmou que o Brasil não pode pensar em substituir a classe política por juízes ou promotores nem pode fazer com que todos os políticos sejam vistos como "corruptos".

+++ Raquel diz que deve se manifestar 'em breve' sobre impedimento de Gilmar 

"Precisamos, inclusive, dos profissionais da política. De um tempo para cá, e já faz muito tempo, precisamos dessas pessoas que se dedicam integralmente à atividade política e que têm todo um aprendizado especial. Não podemos pensar em substituir os políticos por funcionários públicos, ainda que graduados como juízes ou promotores", disse Gilmar.

+++ Dodge recorre de decisão de Gilmar que mandou soltar Jacob Barata

+++ Gilmar Mendes diz que pode haver caixa 2 sem corrupção

+++ Gilmar diz que combate à corrupção não pode ser 'único projeto'

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.