''Não provarão nada, é fantasia'', diz conselheiro

O conselheiro Robson Marinho desafiou os promotores que o investigam. "Não provarão nada porque não existe nada. Não existe conta nenhuma na Suíça, é tudo fantasia que estão criando."Marinho nega taxativamente que mantenha ativos depositados na Suíça. "Podem ir atrás para ver se existe alguma verdade. Todo o pessoal citado no inquérito do Ministério Público é da época do governo Fleury. Eu nunca tive nada (com Fleury). O promotor Silvio Marques quer me envolver, mas não prova nada e não vai provar nada porque não é verdade. Fico absolutamente tranquilo. O promotor que fique com suas suposições."O conselheiro disse que, há mais de um ano, o promotor enviou-lhe ofício com cinco perguntas. "Quando ele (promotor) plantou a notícia de que eu tinha viajado para a Copa do Mundo (suposta cortesia da Alstom), encaminhou-me um expediente absurdo, informando sobre investigação de pagamento de propinas para funcionários do Metrô. Fez perguntas genéricas."Marinho afirmou que todo o seu patrimônio, inclusive a ilha sobre a qual detém direito de ocupação, é comunicado à Receita e publicado no Diário Oficial. "Tudo declarado, tudo o que eu tenho e terei pelo resto da vida. A ilha foi adquirida em 1993. O pessoal do PT é que gosta de falar (da ilha). Quando tomei posse como secretário (Casa Civil), em 95, eu já era proprietário."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.