Edilson Rodrigues/Agência Senado
Edilson Rodrigues/Agência Senado

‘Não posso, por conveniência, decidir sozinho’, diz Alcolumbre sobre caso Chico Rodrigues

Cabe ao presidente do Senado reativar o Conselho de Ética, paralisado devido à pandemia; ‘Tenho de dividir com todos que estão preocupados com o coronavírus’

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2020 | 17h52

BRASÍLIA – O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), evitou se comprometer, nesta terça-feira, 20, com a reabertura do Conselho de Ética da Casa para investigar o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado pela Polícia Federal, na semana passada, com R$ 33.150 na cueca. Cabe a Alcolumbre a decisão de reativar o colegiado, paralisado por causa da pandemia do coronavírus, mas ele disse que não mudará a programação por “conveniência”.

“Eu não posso por uma conveniência ou não, de um assunto ou outro, decidir sozinho isso. Eu tenho que dividir com todos que estão preocupados com o coronavírus”, afirmou Alcolumbre ao chegar nesta terça-feira, 20, ao Senado. Na prática, a estratégia articulada até agora garante sobrevida a Rodrigues, que é acusado de desviar recursos destinados ao combate da pandemia do coronavírus.

Alcolumbre disse que vai discutir a reativação de todas as comissões da Casa, inclusive do Conselho de Ética, somente daqui a duas semanas. Questionado se o escândalo envolvendo Rodrigues não demandaria uma resposta urgente do Senado, Alcolumbre minimizou o caso. “E os outros projetos que estão nas outras comissões não são (urgentes)? Tem matérias em todas as comissões”, respondeu ele. A próxima reunião de líderes está marcada para 4 de novembro.

Rodrigues decidiu se afastar do mandato por 121 dias, abrindo assim caminho para a posse do primeiro suplente, Pedro Arthur, que é seu filho. Ex-líder do governo de Jair Bolsonaro no Senado, Rodrigues é alvo de uma representação no Conselho de Ética que pode cassar o seu mandato. A reunião do colegiado, porém, depende do retorno presencial das comissões da Casa, interrompidas por causa da covid-19.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.