Leonardo Benassatto/Reuters
Leonardo Benassatto/Reuters

"Não parei para pensar se já sou 70% candidato ou 10% ou 30%", diz ministro da Fazenda

Henrique Meirelles afirma que cargos relevantes devem ser ocupados por pessoas com experiência na vida pública em entrevista a rádio de São Paulo

Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

11 Janeiro 2018 | 12h25

Cotado como um dos principais nomes da disputa à Presidência da República neste ano, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), afirmou nesta manhã de quinta-feira, 11, que não parou para pensar se é candidato das eleições marcadas para outubro deste ano. "Não parei ainda para pensar se já sou 70% candidato ou 10%, ou 30%. Tenho que hoje assegurar que economia continuará crescendo, o resto a realidade dirá. Minha ideia é estar totalmente concentrado no meu trabalho hoje, todos podem ficar tranquilos", disse em entrevista à Rádio Bandeirantes de São Paulo ao ser questionado se se considera postulante. Já em entrevista à revista Veja, em novembro do ano passado, o ministro afirmou que "sim, sou presidenciável".

+++ Para 2018, Meirelles tenta firmar imagem ligada a crescimento e emprego

+++ Maia trabalha para minar candidatura de Meirelles

Para o titular da Fazenda, cargos relevantes devam ser ocupados por pessoas com experiência na vida pública. "É importante que pessoas que ocupem cargos relevantes tenham experiência. Vivemos momento em que Brasil está se reformando em todas as áreas e é importante que reformas da economia brasileira continuem", afirmou.

Ele voltou a dizer que no momento só pensa no trabalho à frente do ministério e repetiu que só tomará uma decisão sobre sua possível candidatura no começo de abril. "Apenas vou pensar em candidatura e tomar decisão no início de abril. No prazo legal, terei que decidir se continuo onde estou ou se saio para participar da eleição", afirmou.

+++ Temer prefere Meirelles na Fazenda do que na eleição

Questionado se a sua experiência e conhecimento no comando da economia seriam suficientes para reverter a falta de popularidade demonstrada até agora nas pesquisa pré-eleitorais, o ministro admitiu que esse será um dos pontos que ele terá que analisar até abril. "Tenho que analisar a disposição pessoal e condições políticas para uma candidatura", respondeu.

+++ Estratégia de Maia pelo Planalto é aumentar visibilidade com viagens pelo País

Meirelles avaliou ainda que, após décadas de idas e vindas de regimes não democráticos, o Brasil passa agora por um processo de aprendizagem. Segundo ele, o processo eleitoral deste ano será uma oportunidade para o País amadurecer.

+++ A imperdoável mágoa de Dilma com Meirelles

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.