Não me preocupo com Marina, diz Dilma

'É direito das pessoas concorrerem', afirma candidata do PT, que visitou hidrelétricas

RAFAEL MORAES MOURA, ENVIADO ESPECIAL, PORTO VELHO (RO), O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2014 | 02h01

Apesar de integrantes da campanha temerem um 2.º turno sem a polarização entre PT e PSDB, a candidata à reeleição Dilma Rousseff disse ontem, em Rondônia, que não pode ficar "preocupada" com a entrada da ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva na corrida presidencial. Dilma visitou as hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau, em uma ofensiva para colocar o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) na vitrine eleitoral.

"Meu querido, eu quero dizer para você: eu vou fazer a minha campanha, tenho muito o que mostrar. Não posso ficar preocupada com qualquer pessoa ou com o que ela queira fazer, é direito das pessoas concorrerem. E é meu direito aproveitar este período e apresentar as obras que nós estamos fazendo, tudo o que nós entregamos", disse Dilma, ao ser questionada sobre o novo cenário político.

A presidente afirmou ainda que vê com naturalidade o fato de Marina assumir a chapa. "Não tenho por que comentar a entrada de ninguém", disse.

A licença prévia das duas usinas foi emitida pelo Ibama em 2007, quando Marina era ministra de Lula. Na época, ela foi criticada pela demora no licenciamento ambiental das hidrelétricas. O embate marcou uma série de desavenças quando as duas foram colegas de governo.

Cenário. Durante a visita às hidrelétricas, uma equipe gravou imagens de Dilma para o horário eleitoral. Antes de conversar com a imprensa, ela almoçou com operários em refeitório no canteiro de obras de Santo Antônio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.