'Não me passa pela cabeça presidir o Senado', diz Simon

Senador respondeu a Mesquita, que disse que poderia ser interpretado como golpe apelo para Sarney sair

DENISE MADUEÑO E CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

25 de junho de 2009 | 17h35

O senador Pedro Simon (PMDB-RS) afirmou nesta quinta-feira, 25, em seu discurso na tribuna, que não pretende ser presidente do Senado. Ele fez a afirmação em resposta às intervenções de dois senadores que o interromperam - Geraldo Mesquita (PMDB-AC) e Eduardo Suplicy (PT-SP). Mesquita havia dito que poderia ser interpretado como golpe o apelo feito por Simon para que o senador José Sarney se afaste da presidência da Casa. E Suplicy afirmara que Simon está em condições de ser presidente do Senado. "Vou deixar claro que não me passa pela cabeça ser presidente", reagiu Simon.

 

Veja também:

link Sarney está impedido de conduzir caso Agaciel, diz DEM

som Ouça o discurso de Simon

especialESPECIAL MULTIMÍDIA: Entenda os atos secretos e confira as análises

lista Confira a lista dos 663 atos secretos do Senado

documento Leia a íntegra da defesa do presidente do Senado

lista O ESTADO DE S. PAULO: Senado acumula mais de 300 atos secretos

lista O ESTADO DE S. PAULO: Neto de Sarney agencia crédito no Senado

Em seu discurso, Simon havia dito que Sarney deveria se afastar da presidência "para o bem dele, da família dele, da sua história e deste Senado". Simon lembrou ter defendido a ideia antes. "Há um mês eu disse que é melhor o presidente sair do que ser obrigado a sair. Hoje eu repito: é bom que o presidente Sarney largue a presidência do Senado antes que a situação fique totalmente insustentável", argumentou.

 

Enquanto Simon discursava, o presidente do Senado dirigiu-se ao sentido oposto ao do Senado, para ir a uma consulta a seu oftalmologista no Centro Brasileiro de Visão (CBV). Sarney não tem agenda nesta quinta no Senado.

 

(Com Eugênia Lopes, de O Estado de S.Paulo)

Tudo o que sabemos sobre:
SenadoSarneySimonatos secretos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.