'Não me encaminharam nada', diz Dilma, sobre Snowden

A presidente Dilma Rousseff não quis se manifestar sobre o pedido de asilo do ex-agente norte-americano Edward Snowden, que divulgou "carta aberta ao povo do Brasil", agradecendo pela pressão contra a agência de segurança nacional dos Estados Unidos (NSA) e se dispondo a ajudar nas investigações sobre o roubo de informações no País.

TÂNIA MONTEIRO, RAFAEL MORAES MOURA E VERA ROSA, Agência Estado

18 Dezembro 2013 | 12h58

"Não acho que o governo brasileiro tem de se manifestar sobre algo de um indivíduo que não deixa claro, não dirigiu nada para nós", desabafou a presidente Dilma se esquivando de dizer se iria analisar o pedido e dizendo que não poderia "interpretar" cartas, em café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto.

Ela acrescentou que se dava completamente o direito de não se manifestar ''sobre o que não foi encaminhado''. "Vou me manifestar como? Não me encaminharam nada, não me pediram nada e mais do que isso, eu não interpreto cartas de ninguém. Não é minha missão", encerrou a presidente.

Mais conteúdo sobre:
Snowden asilo Dilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.