"Não matei, não roubei", diz Arruda

Ao chegar ao Senado para a acareação com o senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) e com a funcionária Regina Borges, o senador José Roberto Arruda (sem partido-DF), disse que o caso de violação do painel eletrônico do Senado está sendo tratado de forma ?desproporcional?. ?Há o caso de um senador que matou e não foi cassado?, disse Arruda. ?Eu não matei, eu não roubei, não desviei dinheiro público?, afirmou. Para ele, motivo de ?vergonha? não é a violação do painel, e sim a existência do voto secreto no Parlamento. Arruda não comentou o fato de ter mentido ao plenário da Casa sobre sua participação no episódio - principal motivo alegado pelos que defendem sua cassação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.