'Não houve um derrotado na convenção', diz Jereissati

Depois de garantir a presidência do Instituto Teotônio Vilela (ITV) de estudos e pesquisas do PSDB - cargo pleiteado pelo ex-governador José Serra -, o ex-senador Tasso Jereissati (CE) admite que houve uma disputa interna sem precedentes no partido às vésperas da convenção nacional, mas sustenta que não houve um perdedor. Serra assumiu o comando do Conselho Político do partido. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Jereissati disse que "o dia a dia vai mostrar que não houve um derrotado na convenção, e sim um ganhador, que foi o PSDB".

AE, Agência Estado

30 de maio de 2011 | 11h59

O ex-senador acredita que o partido saiu da convenção renovado, e não rachado. "O partido sai dela com muito mais vitalidade e força para fazer oposição e construir nosso projeto de poder." Questionado se o confronto interno entre Serra e o senador Aécio Neves (MG) significa que o PSDB vai fazer prévias presidenciais, Jereissati afirmou que sempre foi defensor das prévias e a favor da disputa.

"Levantei o assunto quando presidia o PSDB. De fato, quando houve disputa entre Serra e (o governador de São Paulo, Geraldo) Alckmin, FHC (Fernando Henrique Cardoso), Aécio e eu tivemos que tomar a decisão. Vi ali que essa decisão de caciques está ultrapassada. Isso vinha da época dos cardeais tucanos que tinham poder absoluto no partido, pela liderança incontestável que tinham. Mas esta fase já passou. A fórmula envelheceu; está vencida." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Tasso JereissatiPSDBconvenção

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.