Não houve aumento de concentração de renda, diz FHC

O presidente Fernando Henrique Cardoso destacou hoje ? ao comentar os dados da PNAD 2001, a Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílio do IBGE ?o dado da pesquisa que aponta que os 10% mais pobres da população brasileira tiveram acréscimo de renda de 72%, enquanto os 10% mais ricos tiveram um aumento de apenas 13%. "Isso mostra claramente que não houve aumento na concentração de renda no Brasil", afirmou Fernando Henrique. O presidente admitiu que, embora tenham sido criados 8,9 milhões de empregos no Brasil entre 1993 e 2001, o aumento da população economicamente ativa no período contribuiu para a elevação do número de desempregados. Em 1993, o total de desempregados era de 4,3 milhões. Em 2001, de acordo com a pesquisa do IBGE, esse número aumentou para 7,7 milhões. "Os números são bastante claros?, disse o presidente. Durante todo o período do Plano Real houve um aumento expressivo do número de empregos, não suficiente, entretanto, para atender ao crescimento da população." Ele destacou também outro dado da pesquisa que aponta que os 10% mais pobres da população brasileira tiveram acréscimo de renda de 72%, enquanto os 10% mais ricos tiveram um aumento de apenas 13%. "Isso mostra claramente que não houve aumento na concentração de renda no Brasil", afirmou Fernando Henrique. Segundo ele, a idéia de que o Real provocou concentração de renda, destruiu empregos e sacrificou a área social é um mito. "Entendo que na campanha eleitoral as pessoas usam os dados abusivamente, para defender um ponto de vista, mas isso não tem valor científico", ressaltou Fernando Henrique, acrescentando que todos se utilizam deste artifício. "Ou a maioria faz", corrigiu, na tentativa de excluir o candidato governista, José Serra, dessa afirmação. Indagado se acha possível que o próximo presidente possa criar 8 milhões de empregos, como promete Serra, Fernando Henrique limitou-se a responder: "Só posso dizer que criamos 9 milhões."O que mostra a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2001

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.