Não há provas concretas contra Palocci, diz Paulo Paim

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os senadores do PT debateram, em reunião durante almoço hoje, sobre as denúncias contra o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, sobre quem pairam dúvidas a respeito do aumento do patrimônio. Para eles, não existem provas concretas que confirmem as acusações. Segundo relato do senador Paulo Paim (PT-RS), a reunião teve o objetivo principal de discutir a reforma política, mas o caso Palocci também foi tema do encontro.

EDUARDO RODRIGUES, Agência Estado

24 de maio de 2011 | 15h22

"O que eu senti da reunião é que não há provas concretas das denúncias feitas contra Palocci. Quem denuncia é quem tem de mostrar as provas", disse Paim ao deixar a casa da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), onde ocorre o encontro. Questionado sobre a necessidade do ministro Palocci dar mais explicações, Paim voltou a dizer que os denunciadores é que precisam apresentar dados concretos.

Sobre reforma política, Lula e os senadores, segundo relato de Paim, teriam discutido as propostas da lista fechada, de financiamento público das campanhas e fidelidade partidária. De acordo com o senador, o ex-presidente ainda quer ter uma conversa com todas as bancadas de partidos aliados no Congresso sobre a reforma política.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.