'Não há perigo de eu assinar sem ler', diz Serra

O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, cutucou hoje sua adversária, a presidenciável do PT, Dilma Rousseff, ao dizer que nunca assinaria um documento sem ler. "Não há perigo de eu assinar sem ler. Sou ''cricri''. Sempre escrevi meus textos. Viro madrugada escrevendo e lendo", afirmou ele, em resposta a uma internauta em sua página na rede de microblogs Twitter.

CAROLINA FREITAS, Agência Estado

12 Julho 2010 | 12h23

Na semana passada, o PT entregou à Justiça Eleitoral documento aprovado pelo Congresso do partido com medidas polêmicas, como o controle social da mídia e a taxação de grandes fortunas. O texto não correspondia ao programa de governo de Dilma. Mesmo assim, ela rubricou, sem ler, todas as páginas do programa errado.

Na ocasião, Dilma disse que assinar sem ler poderia acontecer "com qualquer pessoa e com qualquer partido". "Não somos perfeitos, nós erramos. Não me consta que o partido adversário não erre. Até porque, em matéria de erros, acho que eles cometeram muito mais até agora", disse a petista na quarta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.