Wilton Junior|Estadão
Wilton Junior|Estadão

'Não há outro caminho, que não o impedimento da presidente Dilma', diz Ricardo Ferraço

Senador do PSDB-ES aponta o desequilíbrio das contas públicas

Rachel Gamarski, Bernardo Caram, Luciana Nunes Leal e Valmar Hupsel Filho, O Estado de S. Paulo

11 de maio de 2016 | 15h46

BRASÍLIA - O décimo senador a se pronunciar na tribuna do plenário do Senado Federal durante a sessão que analisa a admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, Ricardo Ferraço (PSDB-ES), foi mais um a se manifestar a favor do processo. "O que motiva o processo é a governante que gere erroneamente a coisa pública", disse, antes de frisar que "não há outro caminho a não ser o impeachment da presidente".

Ele avaliou que a sociedade é a maior penalizada pelo desequilíbrio das contas públicas. "Hoje temos 11 milhões de desempregados. Se tudo continuar como está, teremos mais 1,5 milhão de desempregados", afirmou.

O quórum do plenário marcava 70 senadores durante a fala de Ferraço, mas era possível observar pouco mais de 40 senadores transitando no ambiente. Nos discursos, praticamente todos os senadores falaram sobre a situação econômica e criticaram o aumento do desemprego, alta da inflação e da taxa de juros. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.