Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

'Não há nada a esconder', diz Jobim sobre CPI dos cartões

Ministro determinou que todos gastos do comando sejam examinados,acrescentando que ele não tem cartão

TÂNIA MONTEIRO, Agencia Estado

08 de fevereiro de 2008 | 14h10

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, dissenesta sexta-feira, 8, que não vê nenhum problema no exame das compras com cartões corporativos do governo por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). "Não há nada a esconder. Essas investigações fazem parte do jogo democrático", disse o ministro, acrescentando que ele mesmo não tem o cartão. "Mas devemos ter a partir de agora, inclusive seguindo a orientação para alguns tipos de gastos", afirmou o ministro, referindo-se às últimas orientações do governo, publicadas em decreto nesta semana, para impedir abusos.   Veja também:    Entenda o que são os cartões corporativos do governo  Jucá promete apresentar 2ª novo requerimento de CPI Congresso não pode viver só de CPIs, diz Garibaldi sobre escândalo dos cartões  Governo de SP gasta R$108 mi com cartão mas não detalha despesa Enquete: o governo deve acabar com os cartões corporativos? OAB quer investigar uso de cartão corporativo nos Estados Governo quer indicar aliados em postos-chave da CPI dos cartões Jobim informou que pediu aos comandantes da Marinha, Exército e Aeronáutica e ao Secretário de Orçamento do Ministério da Defesa que façam um "exame completo" em relação a esses gastos, para preparar as informações necessárias à CPI. O ministro disse que vai se reunir na segunda-feira com os comandantes das três Forças para orientá-los sobre o uso desses cartões. O Comando da Marinha é citado no Portal da Transparência do governo no uso de cartão corporativo para a compra de chocolates finos e brinquedos de pelúcia.Jobim, que estava no exterior quando foi feita a denúncia, disse que determinou que todos os gastos do comando sejam examinados, embora não acredite que tenha ocorrido irregularidades no uso do cartão corporativo.O comandante da Marinha, Júlio de Moura Neto, que acompanhou a entrevista do ministro, disse que não houve nenhuma compra de brinquedos de pelúcia com o cartão. Segundo ele, o que aparece no Portal da Transparência é que foi feita uma compra na loja Paraíso da Pelúcia, o que não significa necessariamente brinquedo.    O comandante, porém, não soube informar o que tinha sido comprado, mas disse que mandou verificar. O comandante Moura Neto disse que não desconfia que algum subordinado possa ter descumprido as orientações para o uso do cartão. "Mas para ter certeza absoluta de que isso não ocorreu, eu mandei fazer uma verificação rigorosa de todas as despesas".Ele lembrou que qualquer tipo de compra exige uma nota fiscal que detalha o que está sendo gasto, e é isso que os órgãos da Marinha vão verificar. O comandante informou que não há prazo para a conclusão das investigações e assegurou que se houver erro no uso do cartão "tomaremos medidas administrativas necessárias".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.