Não há indício de crime político, diz secretário

O secretário de Negócios Jurídicos e da Cidadania de Campinas, Nilson Lucílio, afirmou que não existem elementos que possam indicar que o prefeito Antonio da Costa Santos, tenha sido morto por questões políticas. Segundo Lucílio, não existe ainda versão oficial da polícia sobre o crime.O secretário afirmou que o prefeito jamais comentou que tivesse recebido qualquer ameaça. "O prefeito andava pela cidade tranqüilamente, cumprimentando as pessoas", disse Lucílio. De acordo com o secretário, o prefeito não andava com seguranças e dispensava o carro oficial para ir a sua residência.Lucílio informou que Toninho despachou com os secretários até as 21h45 e depois se dirigiu à academia Oficina do Corpo, que pertence ao irmão de Toninho, e saiu de lá por volta das 22h30. A Avenida Projetada fica no caminho do prédio onde ele morava no bairro de Nova Campinas. o prefeito decidiu mudar para este condomínio após ter sofrido um assalto com sua esposa no dia 26 de setembro do ano passado, quando se dirigia para um debate eleitoral. Toninho mudou por razões de segurança.O secretário disse que várias pessoas do partido recomendaram que o prefeito andasse com seguranças, mas ele sempre recusou. ?Ele afirmava que não tinha cabimento o prefeito andar com segurança enquanto a população estava desprotegida."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.