Não há crise que possa chegar a Thomaz Bastos, diz líder petista

O líder do PT na Câmara, deputado Henrique Fontana (RS), afirmou nesta segunda-feira que "não há crise que possa chegar ao ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos". Foi uma referência à ofensiva da oposição para envolver Thomaz Bastos no episódio da violação do sigilo bancário do caseiro Francenildo Santos Costa pelo então presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Mattoso. Antes da posse dos novos ministros, no Palácio do Planalto, Fontana disse que toda a conduta de Márcio Thomaz Bastos e de sua equipe vem sendo irretocável ao longo dos três anos e três meses do governo Lula. O deputado lembrou que Bastos, como ministro da Justiça, "passou por diferentes turbulências" e, em todos esses momentos, segundo o líder, Bastos se comportou "de forma republicana". A oposição começou a atacar Bastos, porque ele, supostamente, sabia do processo de violação do sigilo bancário do caseiro Francenildo Santos Costa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.